Guilherme Paulus trabalha duro para tornar-se o maior hoteleiro do país

Construir uma carreira longa e de sucesso é o sonho de muita gente. Muitos acreditam que a construção de um patrimônio bilionário seria a justificativa ideal para se desfrutar da aposentadoria dos sonhos. No entanto, o empreendedor e empresário Guilherme Paulus não compartilha, definitivamente, deste pensamento. Nascido no ano de 1949, o bacharel em administração de empresas ultrapassou a marca de cinquenta anos de experiência no ramo turístico e, até os dias de hoje, encontra muito prazer em sua rotina de trabalho. O empresário costuma acordar às 06:30 da manhã todos os dias para poder fazer aquilo que gosta: visitar canteiros de obras, produzir riquezas e, acima de tudo, tomar decisões.

A fantástica trajetória de Guilherme Paulus atesta que o trabalho está intrinsecamente vinculado ao seu DNA. Na década de 70, na cidade de Santo André no ABC Paulista, o empresário encontrava-se diante de um desafio gigantesco: transformar uma problemática e endividada agência de viagens em um negócio próspero e rentável. Pois assim o fez. Em poucas décadas, a CVC Viagens conseguiu se consagrar como uma das maiores operadoras de viagens do mundo. Essa rápida e expressiva evolução foi possível graças à capacidade visionária e peculiar de seu condutor.

A princípio, Guilherme Paulus apostou no potencial econômico da região do ABC Paulista e nos clientes que esta região poderia oferecer. O empresário percebeu que essa região, fortemente industrializada, demandaria uma solução eficiente e barata para o transporte rodoviário de pessoas. Essa visão frutificou e lançou as bases para o crescimento da empresa. Posteriormente, o empreendedor Guilherme Paulus visualizou uma estratégia de negócio diferenciada e muito promissora. Ao invés de dedicar-se apenas ao modal rodoviário, a CVC passou a oferecer pacotes aéreos com a possibilidade de parcelamento dos custos. Essa estratégia demonstrou-se genial. O parcelamento dos preços dos pacotes aéreos facilitou o acesso ao serviço e acabou por ampliar sobremaneira o número de clientes da empresa. Em 2009, a maior parte da CVC Viagens foi vendida por aproximadamente 1 bilhão de reais ao grupo norte-americano Carlyle. Esse feito colocou o empresário Guilherme Paulus na seleta lista de bilionários da FORBES Brasil.

Paulus parece ainda ter muito combustível para queimar. Atualmente, o empreendedor e empresário tem se dedicado à construção de outro império: a GJP Hotels & Resorts. No ano de 2015, o negócio já operava com ativos da ordem de 500 milhões de reais. Bandeiras de renome compõem o portfólio da empresa. Dentre estas, destacam-se a bandeira Wish com cinco estrelas e a Prodigy com 4 estrelas. Paulus tem trabalhado arduamente para se tornar o maior hoteleiro do país. Para alcançar esta meta, o empresário compartilha as filosofias que lhe acompanham desde cedo. Para ele, sucesso é o resultado de 10% de inspiração e outros 90% de transpiração. Paulus ressalta, também, a importância de se ter foco e de se acreditar no negócio. O empresário dá uma dica de ouro ao salientar a importância do atendimento personalizado e de um ótimo departamento de vendas.

Fundador da CVC Turismo, Guilherme Paulus dá início à construção de seu hotel-boutique

Uma região nobre da cidade de São Paulo foi escolhida por Guilherme Paulus para o desenvolvimento de seu mais novo negócio. Trata-se de uma unidade de um hotel-boutique da rede GJP. O empresário tem a intenção de dar início às operações do local em prazo máximo de até 3 anos, ou seja, há a possibilidade de que seja inaugurado no ano de 2021. O espaço adotado para tal construção é o mesmo em que outros tempos abrigava empresas de publicidade renomadas, como a Agência DPZ.

Por se tratar de um hotel-boutique, a obra privilegiará pontos que favorecerão eventos sociais. Desse modo, os apartamentos não serão as únicas estruturas presentes no local, uma vez que o projeto de construção prevê espaços para churrasco, reuniões e até mesmo restaurante. Em uma matéria veiculada pelo site da Istoé Dinheiro, há a informação de que Guilherme Paulus adotaria o mesmo modelo hoteleiro nas próximas construções do grupo. Outro estado poderá também ser escolhido para tal, como o Rio de Janeiro.

O grupo GJP, que será responsável pela construção do hotel-boutique, é um conglomerado formado por empresas de três tipos. No primeiro deles, os negócios são de natureza hoteleira, já os outros dois cuidam de trâmites relacionados à construção civil e incorporações de companhias. Na carreira de Guilherme Paulus o segmento turístico sempre esteve presente. Antes de formar sua rede de negócios, a principal atuação do empresário consistia em pacotes turísticos que eram vendidos por ele.

A CVC Turismo foi a primeira companhia fundada pelo empreendedor. Se na atualidade a empresa é reconhecida em face da grande variedade de pacotes turísticos que oferta aos clientes, em 1975, quando foi inaugurada, esta dispunha de poucos recursos. O empresário explicou que o público-alvo das vendas era significativamente menor, ficando restrito a um pequeno grupo de trabalhadores do estado de São Paulo. Após o trabalho desenvolvido por ele, ocorreu uma gradativa expansão da operadora turística.

Com o foco na construção de seu hotel-boutique, vale pontuar que Guilherme Paulus conseguiu atrair a atenção do Grupo Carlyle, que acabou comprando a CVC Turismo. O empresário, embora tenha vendido a operadora, foi designado para permanecer por um período gerenciando o Conselho Administrativo do local. Dentre as mudanças mais profundas operadas na companhia, aquelas relacionadas à compra e venda de ações foram as que mais se destacaram. Em um dos casos, contudo, a organização passou a funcionar com o capital aberto.

A abertura do capital da empresa representou uma espécie de marco, já que a partir dessa modificação, a forma como se investe em ações da operadora passou a ser a mesma verificada em grandes companhias. Além disso, espera-se que a receita da organização alcance valores mais elevados, já que se planeja a realização de um modo de expansão onde ocorreria a abertura de um total de 100 lojas. É esperado que supermercados passem a contar com estabelecimentos de vendas turísticas. Estes, por sua vez, seriam construídos de maneira econômica, reduzindo-se custos com construções tradicionais, ao passo em que o lucro obtido seria aumentado.

Hotel integrante de grupo liderado por Guilherme Paulus é premiado no Equador

A cidade equatoriana de Guayaquil foi palco da premiação World Travel Awards, voltada ao reconhecimento dos segmentos hoteleiro e turístico. O Wish Resort, um dos hotéis presentes no grupo GJP, do empresário Guilherme Paulus, foi premiado em razão de ser considerado o melhor da América do Sul para hospedar famílias.

Com o prêmio de 2018, entregue em setembro, a unidade hoteleira idealizada e gerida por Guilherme Paulus totaliza duas vitórias, já que em 2016 também obteve reconhecimento semelhante. Na primeira vez em que conseguiu conquistar o título do World Travel Awards, contudo, as avaliações concluíram que o hotel foi o melhor posicionado entre todos os demais resorts existentes em território brasileiro.

Diversas outras categorias fizeram parte da premiação internacional, o que fez com que uma grande quantidade de hotéis fizesse parte da premiação. O prêmio avaliou estabelecimentos hoteleiros sob pontos de vista variados, tais como o que elegeu o melhor resort para quem visita ambientes de praia. Nessa categoria o vencedor foi o hotel Dom Pedro Laguna. Em se tratando de ambientes de luxo, o Saint Andrews recebeu a condecoração em razão de atender plenamente este tipo de público.

O prêmio também levou em conta que cidades melhor atendiam os turistas. O Rio de Janeiro, por sua vez, recebeu grande parte dos votos por se tratar de um munícipio que suscita o turismo voltado à pratica esportiva. Em se tratando das outras modalidades contidas na premiação, alguns dos hotéis vencedores estavam localizados na região sul do país, como por exemplo, o Wish Resort, que fica em Foz do Iguaçu.

O World Travel Award é conhecido, dentre outras características, pelo modo como elege os melhores hotéis e localidades em todo o mundo. Na etapa considerada a mais relevante do processo de avaliação, hóspedes ou turistas exercem a missão de avaliarem os estabelecimentos de acordo com o grau de satisfação de cada um. Outras fases também compõem o processo de apuração dos resultados, tais como a verificação de como se processa a administração desses espaços e a infraestrutura oferecida.

Espaços de lazer, gastronômicos e esportivos compõem a área do Wish Resort de Guilherme Paulus. Todas as dependências do hotel totalizam um ambiente de 225 hectares no estado do Paraná. Contando com o empresário no comando desde 2009, época em que o grupo GJP se interessou pela compra do imóvel, a unidade hoteleira passou por alguns tipos de reforma, além de operar através de uma nova forma de gestão.

Em conjunto com os 215 quartos existentes no local, o resort possui também áreas comuns aos hóspedes. Desse modo, o hotel de propriedade de Guilherme Paulus possui restaurantes, adega, duas modalidades de piscinas, bem como serviços de sauna e salão de beleza. A possibilidade de se praticar um esporte ocorre pelo fato do local dispor de um campo de golfe ao longo de 80 hectares. Já a gastronomia do estabelecimento permite que o hóspede tenha contato com pratos da culinária de outros países, como a Itália, por exemplo.

Pertencendo ao grupo GJP, cujas iniciais representam exatamente o nome do empreendedor Guilherme Paulus, o Wish Resort modificou sua maneira de operar em se tratando da gastronomia existente no hotel. Isso pode ser observado pelo fato da administração ter iniciado um programa de interação com quem lá se hospeda, já que permite com que os hóspedes deem suas opiniões acerca dos pratos que irão constar em todos os cardápios.